Sobre Brasilândia do Sul

Sobre Brasilândia do Sul

A fundação de cidades no noroeste do Estado, na região de Umuarama, particularmente, na década de 1950, foi decorrente do ciclo do café e extração da madeira.

A criação de Brasilândia foi uma iniciativa da família Dal Bem, que veio de Santa Maria, Rio Grande do Sul, com o objetivo de plantar café.

No mesmo ano foram adquiridas terras na gleba 14 dos posseiros Pedro Marcondes, Geraldo Simplício e Clauvino.

Em 1955 Antonio Dal Bem e Vitélio Dal Bem, iniciaram a derrubada da mata ao Sr. Antonio Dal Bem montou a primeira serraria.

O primeiro nome desta localidade foi gleba 14, por estar situada nesta mesma gleba. A partir de 1960, recebeu o nome de Caçula e finalmente aparece o nome de Brasilândia cujo nome foi dado em comemoração à Brasília que, naquela época estava em inauguração.

Os seus principais fundadores foram Vitélio Dal Bem, Antonio Dal Bem e outros.

Brasilândia teve seu crescimento rápido e ali se instalaram o Sr. José Pereira de Carvalho com a primeira casa de comércio, logo em seguida o Sr. Lauro Mendoça, em 1961, o Sr. Atílio Esteves Lorenzetti montou a primeira alfaiataria e barbearia.

A base econômica inicial dividia-se entre extrativismo de madeiras, contando com serrarias e a cultura do café que caracterizavam um período de abundância e riqueza, com o declínio destas atividades desenvolveu-se a pecuária bovina.

Em 1965, Brasilândia tornou-se Distrito de Alto Piquiri pela Lei Estadual de 15/01/1965.

No dia 23 de agosto de 1990 foi sancionada a Lei nº. 9.351, pelo Governador Álvaro Dias, criando o município de Brasilândia do Sul. Porém, houve uma falha nas divisas das linhas de demarcação e o IBGE do Rio de Janeiro, notificou essa falha à Assembleia do Paraná e foi preciso fazer nova correção, dando origem a uma nova Lei de número 9.624, de 17 de junho de 1991 e assinada pelo Governador Roberto Requião.